terça-feira, 17 de novembro de 2020

Plano de vacinação em massa da Indonésia enfrenta atraso na aprovação de emergência

 JAKARTA (Reuters) - A pressão do presidente indonésio, Joko Widodo, para que as vacinações em massa sejam lançadas em dezembro enfrenta um atraso depois que a agência de alimentos e medicamentos do país alertou que não será capaz de dar autorização de emergência até o final de janeiro devido a dados incompletos.


Em uma entrevista na semana passada, o presidente disse à Reuters que a Indonésia pretendia iniciar a vacinação em massa para a equipe médica e outros trabalhadores da linha de frente no mês que vem, em uma tentativa de suprimir um aumento no número de casos de COVID-19 e apoiar uma economia abalada.

O plano é usar uma série de vacinas candidatas, incluindo uma produzida pela chinesa Sinovac SVA.O , que vem realizando testes clínicos na Indonésia. Testes também estão em andamento no Brasil.

Penny K. Lukito, chefe da agência de alimentos e medicamentos da Indonésia, conhecida pela sigla BPOM, disse em uma audiência parlamentar na terça-feira que o cronograma de dezembro não era alcançável porque os dados do Brasil e Sinovac não estariam disponíveis a tempo.

“É impossível que possamos emitir a autorização de uso de emergência em dezembro de 2020”, disse ela, acrescentando que a autorização poderia ser dada na terceira ou quarta semana de janeiro, enquanto se aguarda a análise dos dados provisórios dos ensaios clínicos.

A Sinovac e a Bio Farma, empresa farmacêutica estatal indonésia que supervisiona os testes, não responderam imediatamente aos pedidos de comentários.

Budi Gunadi Sadikin, chefe do comitê de recuperação econômica nacional do governo, disse na mesma audiência que a Indonésia precisaria de 246 milhões de doses de vacina para sua população de 270 milhões.

O quarto país mais populoso do mundo, que tem o maior número de casos de coronavírus no sudeste da Ásia, relatou novos picos de infecções recentemente, após sinais de que as taxas de infecção estavam se estabilizando.

A Indonésia registrou 15.390 mortes relacionadas ao COVID-19 e 474.400 infecções, embora alguns especialistas em saúde alertem que as baixas taxas de teste estão mascarando toda a extensão do surto.

 Reportagem de Stanley Widianto; Edição de Ed Davies

 

Nossos padrões: Princípios de confiança da Thomson Reuters.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

COVID-19 Ervas: fitoquímicos ácido elágico, ácido gálico, punicalagina e punicalina extraídos de cascas de romã podem inibir o vírus SARS-CoV-2

 Fonte: COVID-19 Herbs, 23 de novembro de 2020 Ervas COVID-19 : Em uma nova pesquisa realizada por cientistas da faculdade de medicina da ...